Entenda o sobe e desce do dólar

O sobe e desce da moeda americana

Você já se perguntou o porquê do sobe e desce do dólar americano? Por que ele tem tanto impacto na moeda brasileira? Para além do que muitos pensam, não devemos lembrar do dinheiro americano só no momento de viagens para o exterior, essa variação influencia nos preços de itens básicos do dia a dia.

Antes de tudo, é importante ressaltar que atualmente os Estados Unidos é  considerado a principal economia do mundo, logo isso o permite ditar algumas regras do “jogo”. Todos os países realizam transações pelo dinheiro americano e por isso, não é diferente para o Brasil. Dessa forma, é necessário que se tenha uma reserva da moeda estrangeira no país.

Para entender como funciona a variação do dólar é preciso aprender primeiro como funciona a sua cotação.

O sobe e desce da moeda americana
Fonte: Unsplash

Como funciona a taxa de câmbio?

O câmbio vai definir quantos reais são necessários para a compra de um dólar, ou seja, o câmbio reflete o custo de uma moeda sobre a outra. Existem diversos fatores para essa variação, como por exemplo, fatores políticos e econômicos, além disso as taxas são definidas por três tipos de regimes cambiais, são eles:

  • Regime cambial fixo: o Banco Central do Brasil estipula o valor fixo de uma moeda estrangeira em relação ao real.
  • Flutuante: as taxas são determinadas sem interferência do governo do país, apenas de acordo com a oferta e demanda.
  • Atrelado: é a união do fixo com o flutuante, temos a variação calculada pela oferta e demanda, mas dentro dos parâmetros determinados pelo governo.
Foto: Freepik

Dólar comercial x Dólar de turismo

Existem dois tipos de moedas negociados no Brasil, o dólar comercial e turismo.

  • Dólar comercial: as negociações das empresas são feitas a partir do dólar comercial que, normalmente, tem um valor reduzido em relação ao dólar de turismo, tudo por conta da oferta e procura. Esse tipo impacta diretamente na economia brasileira (e no seu bolso), já que os valores dos produtos são afetados pelo sobe e desce do dólar comercial. 
  • Dólar de turismo: o mais conhecido pelo público geral, o dólar de turismo é usado por pessoas físicas, logo seu valor é mais elevado já que as transações são inferiores a de companhias e bancos.
Foto: Freepik

Quando o dólar sobe?

Existem 3 razões para a ascensão: o déficit da balança comercial, compras no exterior e juros nos Estados Unidos.

  • Déficit da balança comercial: é uma equação simples, quanto mais o Brasil compra produtos importados do que exporta para outros países, mais o dólar sobe. E novamente caímos na oferta e procura.
  • Compras no exterior: ao investir em produtos importados colocamos mais dinheiro para fora do que para dentro, dessa forma, causamos um déficit na economia brasileira.
  • Juros nos Estados Unidos: quando os juros americanos estão em alta, os brasileiros tendem a investir nos Estados Unidos, já que a rentabilidade por lá está mais promissora.
Foto: Freepik

Quando o dólar desce?

Aqui vamos fazer o caminho inverso do tópico anterior, e entender quando o real se valoriza em relação à moeda americana, também por 3 fatores: superávit comercial, gastos de estrangeiros, juros no Brasil.

  • Superávit comercial: quando empresas nacionais exportam mais produtos, portanto a entrada de dólar no país aumenta e consequentemente o valor do real fica mais valorizado;
  • Gastos de estrangeiros: segue a mesma lógica do superávit comercial, com o turismo em ascensão recebemos mais turistas que convertem o seu dólar em real, dessa forma ocorre a entrada de mais moeda estrangeira no país.
  • Juros no Brasil: quando os juros no país sobem, muitos investidores se interessam em comprar ações, já que o rendimento está em alta.

Caso deseje acompanhar diariamente o sobe e desce do dólar, aconselhamos o portal do Banco Central do Brasil.

Conteúdo que indicamos

Como a moeda americana se tornou a moeda mais importante do mundo? do canal Razão Econômica

Porque o dólar sobe e desce tanto? do canal Financeiro

Nós, da Multiplicando Sonhos, temos o propósito de levar educação financeira a jovens de escolas públicas e disponibilizamos aqui no nosso blog diversos artigos para te auxiliarem em uma jornada de aprendizados quanto às finanças.

Além disso, temos uma parceria com o E- Investidor do Estadão, em que o fundador da Multiplicando Sonhos, Evandro Mello, é um dos colunistas.

Colaboração: Ana Marsiglia (anamarsiglia_)

Andréa Tavares é diretora de Comunicação e Marketing e membro do Conselho Científico da Multiplicando Sonhos. É entusiasta da Psicologia Econômica e acredita na transformação por meio da Educação Financeira.

Foto Dólar: Fundo foto criado por jcomp – br.freepik.com

Foto Dólar alta: Fundo foto criado por freepik – br.freepik.com

Foto dólar baixa: Dinheiro foto criado por jcomp – br.freepik.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.