Como será a Educação Financeira nas escolas?

Educação Financeira nas escolas

Em 2020, falar de finanças tornou-se obrigatório no currículo das escolas. Mas você sabe como será aplicada a Educação Financeira nas escolas?

Cerca de 90% da população brasileira admitem precisar de educação financeira, é o que indica o estudo realizado pelo Instituto Locomotiva em parceria com a Xpeed. Partindo de dados como esse que neste artigo vamos elucidar sobre as mudanças no currículo escolar e sobre o que têm sido feito até o momento.

O que muda na grade escolar?

A educação financeira não foi instituída como um componente curricular, mas como um tema transversal obrigatório que pode ser incorporado às disciplinas de matemática, língua portuguesa, história ou geografia, por exemplo.

Em escolas com período integral a educação financeira entra como optativa. O objetivo do programa é que os alunos construam uma relação entre os seus desejos e os recursos financeiros disponíveis.

Como está a preparação dos professores?

No ano passado a Associação de Educação Financeira do Brasil (AEF-Brasil) encerrou suas atividades, resultando em um atraso na capacitação dos professores quanto à educação financeira.

Porém, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em parceria com o Ministério da Educação (MEC), desenvolveram um projeto para capacitar professores com cursos gratuitos, por meio de um programa de incentivo à Educação Financeira nas escolas.

Os cursos são online para professores do 9º ano do ensino fundamental e da 1ª série do Ensino Médio. www.edufinanceiranaescola.gov.br.

Já o Banco Central estimula a educação financeira para estudantes do Ensino Fundamental da rede pública por meio do Programa Aprender Valor.

Os professores são treinados por meio de uma plataforma que oferece conteúdo integrados aos componentes curriculares Matemática, Língua Portuguesa e Ciências Humanas e alinhados à BNCC. Os projetos são implementados pelos professores em sala de aula. No fim de cada ciclo do programa, os alunos são submetidos a uma avaliação de aprendizagem.

Enquanto isso, na Multiplicando Sonhos o programa educacional é voltado diretamente para os alunos do ensino médio de escolas públicas. Nós treinamos e capacitamos nossos próprios multiplicadores voluntários e entramos com nosso conteúdo na grade escolar das escolas.

O programa é constituído por 8 aulas, um módulo vivencial e um evento de encerramento. Nossos multiplicadores transmitem os conceitos básicos sobre finanças, comportamento em relação ao dinheiro, empreendedorismo e o que é essencial para uma inserção crítica e consciente do jovem no mundo atual.

A importância da Base Nacional Comum Curricular (BNCC)

A BNCC é um documento que define o conjunto orgânico e progressivo de aprendizagens essenciais durante o período escolar.

Dentro do seu histórico de realizações temos como principal a homologação do novo ensino médio e a recomendação do programa de educação financeira nas escolas.

Novo Ensino Médio

Neste ano, tanto as escolas públicas quanto privadas vão aderir ao novo ensino médio, as mudanças vão dar início com o primeiro ano e em 2024 atingirá as três etapas (1º, 2º e 3º ano). Entre as principais mudanças estão:

  • Carga horária de 3000 horas;
  • O estudante poderá escolher parte de suas disciplinas;
  • Formação técnica.

De todas as matérias apenas Matemática e Língua Portuguesa serão obrigatórias para os três anos de ensino médio, a flexibilidade entra com os itinerários informativos que é o momento que o estudante escolhe estudar suas áreas de interesse.

Além disso, foi instaurado o Projeto de Vida, em que as escolas vão propor uma reflexão aos alunos sobre o que eles almejam para o futuro, baseado no desenvolvimento de competências socioeconômicas.

Multiplicando Sonhos e Educação Financeira

O objetivo da Multiplicando Sonhos é levar educação financeira para jovens do ensino médio de escolas públicas de todo o Brasil e com essas mudanças acreditamos que o nosso trabalho será ainda mais intensificado, já que agora o tema é obrigatório no currículo.

O programa de Educação Financeira da Multiplicando Sonhos possui metodologia própria voltada à experiência. Nós treinamos e capacitamos nossos próprios multiplicadores voluntários e entramos com nosso conteúdo na grade escolar das escolas.

O programa é constituído por 8 aulas, um módulo vivencial e um evento de encerramento. Nossos multiplicadores transmitem os conceitos básicos sobre finanças, comportamento em relação ao dinheiro, empreendedorismo e o que é essencial para uma inserção crítica e consciente do jovem no mundo atual.

Caso deseje conhecer mais sobre a nossa história leia o artigo: Educação financeira transforma: conheça a história e a missão da Multiplicando Sonhos

Colaboração: Ana Marsiglia (Instagram @anamarsiglia)

Autor: Andréa Tavares

Fonte: arquivo pessoal

Andréa Tavares é diretora de Comunicação e Marketing e membro do Conselho Científico da Multiplicando Sonhos. É entusiasta da Psicologia Econômica e acredita na transformação por meio da Educação Financeira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.