Qual é o perfil do investidor brasileiro?

Moedas

Conhecer qual é o perfil do investidor é importante, entender um pouco mais do comportamento, os produtos, enfim… Em um país onde conhecemos poucos investidores, quem são os que nadam contra a maré e fecham o mês engordando o pé de meia? Pensando nisso, selecionamos alguns pontos da 5º edição do Raio X do Investidor Brasileiro da Anbima.

O estudo contemplou 5.878 pessoas de cinco regiões do Brasil, com foco em todas as classes A, B, C, D e E.

*A margem de erro do estudo é de 1% para mais ou menos.

Afinal, qual é o perfil do investidor brasileiro?

Quem investe?

Entre os analisados, constatou-se que 84,5% dos entrevistados possuem renda, desse total  28% investe em produtos financeiros. Já aqueles que não possuem, apenas 2,9% realizam o mesmo investimento.

Renda Familiar Média

Classe A | B:  R$ 7.943,00

Classe C: R$ 2.904,00

Classe D e E: R$ 1.492,00

Produtos Financeiros

Apesar dos avanços quanto ao letramento financeiro, ainda estamos longe de um percentual positivo, a poupança segue sendo o investimento mais conhecido com 11%, seguido das ações da bolsa de valores com 10%.

O desconhecimento de outros tipos de investimentos atinge um percentual de 72%, para as classes D e E o número alcança 91%. É por dados como esse, que nós da Multiplicando Sonhos, seguimos com o nosso propósito de levar educação financeira a jovens de escolas públicas.

É de extrema importância que as classes com menor poder aquisitivo também entendam como a economia funciona e o que pode ser feito para otimizar suas realidades.

Como o brasileiro se informa no momento de investir?

1º lugar – Gerente ou assessor de investimentos (21%)

2º lugar – Amigos ou parentes (20%)

3º lugar – Site de notícias (12%)

Além disso, existe uma diferença quanto ao meio em que a informação é consumida. O Youtube é o mais popular entre as classes A, B (36%) e C (32%), já as classes D e E têm preferência pela televisão (35%).

Diferença de gênero nos investimentos

Assim como muitos cenários e nesse não sendo diferente, as mulheres ainda são o público que menos investe, as não investidoras chegam a 72% contra 66% dos homens. Já aquelas que não guardam nenhuma reserva o percentual chega a 64 % e os homens 58%.

Conclusão

Por fim, achamos importante perpetuar esses dados para que os nossos leitores entendam o paralelo que existe entre os investidores no Brasil, não existe uma regra clara e sim oportunidades quanto a uma educação de qualidade e um letramento financeiro.

Acesse a pesquisa completa pelo link:

Raio X do Investidor Brasileiro

Acesse também:

A Multiplicando Sonhos e os ODS

Colaboração: Ana Marsiglia (Instagram @Ana_marsiglia)

Fonte: arquivo pessoal

Andréa Tavares é diretora de Comunicação e Marketing e membro do Conselho Científico da Multiplicando Sonhos. É entusiasta da Psicologia Econômica e acredita na transformação por meio da Educação Financeira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.